14.6.16

Atirador de Orlando era frequentador regular de boate gay

Omar Mateen, um americano de origem afegã de 29 anos, também trocou mensagens com frequentadores da boate por meio de um aplicativo de encontros gays
Omar Mateen, um americano de origem afegã de 29 anos, também trocou mensagens com frequentadores da boate por meio de um aplicativo de encontros gays
O homem que matou mais de 40 pessoas na boate gay Pulse de Orlando era um frequentador regular do local, afirmaram quatro clientes habituais. “Às vezes ele sentava em um canto para beber sozinho, outras vezes ficava tão bêbado que era barulhento e ofensivo”, disse Ty Smith ao jornal Orlando Sentinel. O atirador, Omar Mateen, um americano de origem afegã de 29 anos, também trocou mensagens com frequentadores da boate por meio de um aplicativo de encontros gays.
Smith afirmou ao Orlando Sentinel que viu Mateen na boate Pulse diversas vezes. “Realmente não falávamos muito com ele, mas lembro de ter ouvido, às vezes, dizer coisas sobre seu pai. Ele disse que tinha esposa e um filho”, completou. Kevin West, outro frequentador regular da Pulse, disse ao jornal Los Angeles Times que trocou mensagens intermitentes com Mateen em um aplicativo homossexual por pelo menos um ano. Outros clientes da casa noturna afirmaram à imprensa que Mateen utilizava aplicativos gays, como o Grindr.
Mateen também visitou o Walt Disney World em abril, disse um gerente da Disney que pediu anonimato. O FBI (a polícia federal americana) suspeita que ele estivesse averiguando possíveis alvos para seu ataque. O atentado contra a Pulse, o mais violento nos Estados Unidos desde os atentados de 11 de setembro de 2001, deixou 49 mortos e 53 feridos. A polícia matou Omar Mateen ao invadir a boate.
O diretor do FBI, James Comey, disse que está convencido de que Mateen se radicalizou com a propaganda do extremismo islâmico na internet e agiu sem orientação de um grupo terrorista. O atirador, no entanto, proclamou sua lealdade ao Estado Islâmico em uma de suas conversas com a polícia durante o ataque.
Fontes: Verdade Gospel e Veja.
Postar um comentário