12.10.12

LER..OUVIR...GUARDAR



ROUPAS SUJAS
No verão do ano 2000 na pacata Nísia floresta um lugarejo no agreste do estado do Rio Grande Norte, existe uma pequena praça mal iluminada sem brinquedos e com poucos bancos, ali era realizado toda semana a noite um culto evangélico ao ar livre.
Um vizinho amigavelmente cedia a tomada de luz da sua casa, então o pastor ligava um extenso fio à caixa de som e o microfone, juntava algumas pessoas da igreja era entoado alguns hinos e depois o pastor pregava a Palavra de Deus.
Naquela noite havia um homem maltrapilho com a barba grande, com seus filhos descabelados, catarro escorrendo do nariz e um ar triste nos olhos dos pequenos infantes.
A família assistia ao culto meio que de longe, mais o pastor observou que o homem entendia a mensagem.
O pastor Wagner Lopes fora enviado do Rio de Janeiro para ajudar aquela igreja nos trabalhos de evangelização local.


O pastor finaliza seu discurso da seguinte maneira: Talvez você possa dizer ou já falou muitas vezes nessa vida que ninguém lhe dá uma oportunidade, mas nesta noite você tem a grande oportunidade: Entregar sua vida a Cristo.
Deus apaga o teu passado te perdoando, entra no teu presente te transformando e no futuro te levará com Ele para a morada celeste. Essa oportunidade Cristo está te dando agora.
Aquele homem maltrapilho junto de seus filhos após o convite do pastor veio à frente entregando suas vidas a Cristo.
O pastor soube depois que esse homem era conhecido naquela região como roupa suja (“nádegas suja.”).
O tempo de retornar ao Rio de janeiro chegou, depois de quase um ano em Natal dando assistência à igreja o pastor Wagner Lopes regressa para sua terra.
Em 2001 já no Rio de Janeiro soube pelo pastor da igreja de Natal que aquele homem é o porteiro da igreja, anda de barba feita, cabelo penteado, roupa simples porém lavada e passada como também os seus filhos e são assíduos na igreja.
O pastor Wagner Lopes nunca soube o nome daquele homem, mas ele tem certeza de uma coisa aquele homem nunca mais foi chamado de “nádegas suja”, para glória de Deus.

Fonte: Abrindo Página Editora
Autor - Wagner Lopes
www.abrindopagina.com
Postar um comentário