31.3.11

MULHERES VITORIOSAS

ADVEC1º FÓRUM DAS MULHERES VITORIOSAS FALA SOBRE RELACIONAMENTOS 29/03/2011 15:01:14 - Atualizado em 30/03/2011 16:27:51 O encontro mensal realizado pelo departamento de Mulheres Vitoriosas acontece sempre na última segunda-feira do mês. No mês de março (28/03), o Culto das Mulheres Vitoriosas contou com a realização do primeiro Fórum com o tema: Mulher e seus relacionamentos. Se eu existo eu participo O encontro mensal realizado pelo Departamento de Mulheres Vitoriosas acontece sempre na última segunda-feira do mês. Em março (28/03), o Culto das Mulheres Vitoriosas contou com a realização de seu primeiro Fórum, cujo tema, baseado no texto de 1 Coríntios 15.57,58, foi: Mulher e seus relacionamentos. Se eu existo, eu participo. O templo sede da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, na Penha, ficou repleto de mulheres, que participaram de uma programação especial com louvores, ministração da Palavra pelas palestrantes do Fórum e um breve debate com perguntas e respostas sobre os assuntos tratados. A primeira palestrante do Fórum foi a psicóloga Mônica Abrille, que falou sobre A mulher e seu autoconhecimento, com base em Efésios 1.4-7. “Mulher, você é amada do Pai, você foi comprada por um alto preço, o sangue de Jesus. Quanto melhor a sua autoestima, melhor a sua comunicação, porque você tem certeza das suas idéias. Não faça comparações; cada mulher tem a sua singularidade”, frisou a psicóloga. Iradi Coutinho, também psicóloga, foi a segunda palestrante do Fórum e abordou o tema: A mulher e a família, fundamentando-se no texto de Provérbios 24.3 — Com a sabedoria se edifica a casa, e com a inteligência ela se firma. “É na família que aprendemos a perdoar e a construir relacionamentos”, comentou Iradi. A mediadora do Fórum, Elizete Malafaia, após a explanação do assunto, complementou-o com a seguinte pergunta: “Qual legado você tem deixado para sua família nas áreas espiritual, emocional, profissional e sentimental?”. O tema A mulher no trabalho foi tratado pela administradora e diretora executiva Elba Alencar, que apresentou orientações para a vida profissional das mulheres. “Nós, mulheres, conseguimos ver pequenos detalhes que o homem não vê, temos uma percepção aguçada, e isso é muito proveitoso no trabalho. Por outro lado, temos de saber controlar as nossas emoções e tomar cuidado para não trocarmos os papéis, sendo mães no trabalho e chefes dentro de casa. Esposa e mãe devemos ser em casa, e profissionais firmes e racionais devemos ser no ambiente de trabalho. A postura que devemos sempre adotar no trabalho inclui roupas adequadas, sem decotes, que não sejam curtas nem transparentes; não nos envolver com fofocas; estabelecer limites nas brincadeiras e não dar intimidade ao sexo oposto”, ensinou Elba, que concluiu lembrando uma frase que o seu pai, o pastor José Santos, sempre afirmava: “o trabalho é uma ordem divina”. A passagem bíblica usada como base nessa terceira palestra se encontra em Efésios 6.7,8. A quarta e última palestrante foi a pedagoga Maria José, que falou sobre A mulher como educadora e mãe, com base em Provérbios 22.6. “A mãe como educadora não só fala como também acompanha a criança no caminho em que deve andar, ou seja, ela mostra as atitudes corretas. O aprendizado de uma criança é 70% por imitação. A criança observa o comportamento dos pais e faz igual. Ore e leia a Bíblia, para que seus filhos vejam que você tem vida com Deus”, alertou a pedagoga. Ao final, a mediadora, Elizete Malafaia, abriu a sessão para perguntas. Em seguida, agradeceu às palestrantes, às participantes, e avisou: “No mês de maio haverá outro Fórum para as mulheres vitoriosas. Não fique de fora e traga visitantes”. Para encerrar, uma canção sobre a importância da unidade e do amor em Cristo fez as mulheres refletirem e despedirem-se num clima de muita alegria e paz. “Foi um tempo de renovo e da graça de Deus manifesta nesse encontro de mulheres. Aprendi muito com cada palestra, e no próximo Fórum estarei presente. É fundamental esse tipo de ensinamento para nós, mulheres”, contou a membro da ADVEC Manuela Cabral.
Postar um comentário